Jornal Correio do Estado - O Jornal que todo Mundo lê

Notícias - Saúde

Hospital Rio Doce vai receber aparelho de radioterapia

23 de Outubro de 2017 Autor: Caroline Pereira

Hospital Rio Doce vai receber aparelho de radioterapia

Conforme antecipado pelo jornal Correio do Estado, na reportagem "Linhares vai passar a oferecer radioterapia para tratamento de câncer", o Hospital Rio Doce deverá receber o equipamento do Ministério da Saúde. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (23) pelo deputado federal Lelo Coimbra à diretora-geral do Hospital Rio Doce, Fátima Biancardi, e representantes da instituição, durante reunião em Vitória.

“Temos a garantia do ministro da Saúde, Ricardo Barros. O Hospital Rio Doce já está habilitado para receber esse equipamento de radioterapia. Vamos garantir um tratamento mais humanizado e com qualidade na assistência”, informou Lelo. 

Desde 2012 o Hospital Rio Doce oferece tratamento de quimioterapia. Segundo Fátima Biancardi, o hospital tem 600 pacientes em tratamento contra o câncer. “É importante que esse atendimento seja integrando, quimioterapia e radioterapia em um só local. Os pacientes que precisam de radioterapia têm que ir para Vitória porque nem Linhares nem Colatina possuem esse aparelho. Hoje o equipamento de radioterapia é vital para o atendimento aos pacientes dos 11 municípios referenciados pelo Ministério da Saúde para atendimento em Linhares”, destacou. 

As prefeituras da região disponibilizam ônibus para que os pacientes possam ir à Capital fazer as sessões diárias de radioterapia. Eles encaram as estradas ainda de madrugada e só chegam tarde da noite em casa, já que precisam aguardar que todos os pacientes sejam atendidos. “O paciente já vem muito debilitado. E ainda são muitas horas de estradas. E temos também um problema muito sério nas nossas estradas, com riscos de acidentes no trânsito. Saímos esperançosos dessa reunião”, disse Biancardi. O encontro contou ainda as presenças do provedor-geral do Hospital Rio Doce, Arles Miranda, e do presidente da Sociedade de Hotelaria Hospitalar do Estado do Espírito Santo, Mauro Quintão.

Miranda e Quintão também agradeceram o apoio do deputado em garantir a inclusão do Rio Doce na lista das três cidades capixabas que vão receber aparelhos de radioterapia. “Temos que agradecer o apoio e a acolhida do deputado ao pleito do hospital”, ressaltou Miranda.

Mais equipamentos

Em Colatina, o equipamento será disponibilizado para o Hospital São José, que já atende pacientes da região que lutam contra o câncer. Na Capital, o aparelho será destinado à Santa Casa de Misericórdia de Vitória, que também oferece serviço de oncologia. As três integram a lista das 100 cidades brasileiras que vão receber os aparelhos do Ministério da Saúde. A distribuição dos equipamentos integra o Plano de Expansão dos Serviços de Radioterapia.

“A mobilização agora é para garantir que os aparelhos cheguem o mais rápido possível às cidades capixabas. Mas ainda não há previsões”, finalizou o deputado. 

 

Projeto para construir espaço de radioterapia está em análise e obras podem começar em breve, diz coordenador da oncologia

Atento à necessidade de fornecer radioterapia aos pacientes e à promessa do Ministério da Saúde em conceder o equipamento, o Hospital Rio Doce já enviou, para a análise de órgãos competentes, o projeto de construção de uma área específica onde o aparelho será instalado. A informação foi repassada pelo dr Guilherme Biancardi, que é coordenador do centro de oncologia do hospital. 

De acordo com o médico, as análises já estão em fase final e as obras devem começar em breve. A construção da estrutura, segundo o médico, pode ser concluída em aproximadamente seis meses, após a devida liberação dos órgãos. 

O especialista disse ainda que o fato de o Hospital Rio Doce já contar com um serviço de oncologia em pleno funcionamento – que, além de quimioterapia, realiza as principais cirurgias oncológicas – poderá agilizar a oferta de radioterapia após a chegada do aparelho. “O Hospital Santa Rita, de Vitória, que é referência em tratamento de radioterapia via SUS, está saturado. Hoje, para iniciar o tratamento, os pacientes precisam aguardar mais de três meses. Muitas vezes, esse é o tempo de vida que o paciente tem, o tempo que não podemos perder. Infelizmente, ficamos dependentes desse serviço [do Hospital Santa Rita], que está centralizado”, declara o médico. 

Segundo o dr. Guilherme, 30% das pessoas que passam por tratamento contra o câncer irão, em algum momento, precisar de radioterapia. Embora o procedimento (a exposição à radiação pelo aparelho) seja rápido e localizado, as sessões são diárias e levam de cinco a seis semanas para serem concluídas. “Muitos pacientes saem dos seus municípios de madrugada e só retornam a noite, para no outro dia fazer o mesmo ciclo, que pode ser repetir por 35 vezes. É uma triste realidade”, considera. 

FOTO: Centro de Oncologia de Linhares, anexo ao Hospital Rio Doce, onde o aparelho de radioterapia deverá ser instalado (Foto: Caroline Pereira)



    Comentários (0) Enviar Comentário