Jornal Correio do Estado - O Jornal que todo Mundo lê

Notícias - Meio Ambiente

Coleta seletiva em Aracruz promete gerar economia de cerca de R$ 4 milhões

20 de Setembro de 2017 Autor: Redação CE

Coleta seletiva em Aracruz promete gerar economia de cerca de R$ 4 milhões

Iniciada no ano de 2005 e formalizada em 2013 junto ao Ministério Público e do Trabalho, a coleta seletiva no município de Aracruz deve gerar uma economia de cerca de R$ 4 milhões quando contar com a participação de todos os munícipes. Pelo menos é essa a expectativa do prefeito Jones Cavaglieri, que repassou esse número no último mutirão de conscientização sobre a coleta, promovido no dia 17, no bairro Cohab 4. Durante o mutirão, mobilizadores das secretarias de Transportes e Serviços Urbanos (Setrans) e de Meio Ambiente (Semam) percorreram as ruas do bairro convocando as pessoas a se engajar nesse trabalho.

Atualmente, o serviço de coleta seletiva atende os moradores de porta em porta, de acordo com uma rota pré-estabelecida. Existem também três pontos de entrega voluntária do lixo, localizados na Igreja Matriz, na 1ª Igreja Batista de Aracruz e na própria Setrans (veja os endereços ao final desta matéria). Nos distritos, os materiais podem ser entregues nos apoios regionais.

A gerente de limpeza pública de Aracruz, Francine Sousa, e a coordenadora de coleta de resíduos sólidos, Fernanda Santana, afirmam que com a coleta seletiva, a Prefeitura de Aracruz também tem o objetivo de reduzir os gastos com serviços de limpeza pública. “Hoje, a coleta seletiva proporciona a redução de 1,6% nesses custos, e a prefeitura está trabalhando com uma equipe multidisciplinar para aumentar a percentagem de coleta de resíduos recicláveis no município”, ressaltam.  Até agosto deste ano, foram recolhidos aproximadamente 234 toneladas de lixo, que representam uma média mensal de 29,25 toneladas.

A geração de emprego e renda é outra vantagem da coleta seletiva. A equipe da Setrans informa que a Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis do Município de Aracruz – Recicle Aracruz – é responsável pelas tarefas de coleta do material em todo o município, de triagem (feita em um galpão cedido pela prefeitura) e de comercialização do material triado com empresas do ramo da reciclagem.

Com relação ao meio ambiente, a coleta seletiva promete ajudar a diminuir a quantidade de lixo enviado aos aterros sanitários que, em Aracruz, são geridos pela iniciativa privada, segundo a Setrans.  

Como colaborar

Os moradores que quiserem se engajar nesse programa devem, inicialmente, conferir a rota de trabalho da equipe que faz a coleta. O caminhão passa em determinados bairros em cada dia da semana.

Na residência, é preciso separar o lixo seco do úmido (confira as instruções no box). Esse trabalho vai facilitar a triagem dos recicladores e contribuir para a separação do lixo orgânico (que é o lixo úmido). “A separação do lixo seco facilitará o melhor aproveitamento dos materiais, o que ocasionará a diminuição do lixo total, aumentando a vida útil do aterro sanitário e ajudando a preservar o meio ambiente”, ressalta a equipe Setrans.

Adesão dos moradores

Durante o mutirão de conscientização no bairro Cohab 4, o morador Joelson Lombardi parabenizou a atitude da prefeitura. “Viajo todo o país a trabalho e vejo como é bom quando a cidade abraça a causa. Temos que aderir a coleta. É fácil; e só ter boa vontade. Hoje meu lixo já estava separado e estou feliz em fazer esta entrega diretamente ao caminhão da coleta seletiva”, afirmou.

Patrick Pandolfi, também morador do bairro, considerou de extrema importância a ação. “A equipe explicou de que forma tenho que separar e partir de agora já vou providenciar os dois sacos para separação dos resíduos. O meio ambiente agradece”.

Endereços dos pontos de coleta fixos:

Igreja Matriz: Praça São João Batista, s/n – Centro;

1ª Igreja Batista de Aracruz: Rua Professor Lobo, 626 –  Centro;

Setrans: Av. Castelo Branco 47 – Bela Vista

Lixo úmido ou orgânico: composto por restos de alimentos, filtros de pó de café e de chá, cascas, papel higiênico usado, papéis engordurados, fraldas utilizadas, resíduos de jardinagem, etc.

Lixo seco ou reciclável: papéis, papelão, latas, vidros, plásticos, embalagens, garrafas pet, etc. 

FOTO: DIVULGAÇÃO



    Comentários (0) Enviar Comentário