Jornal Correio do Estado - O Jornal que todo Mundo lê

Notícias - Geral

Hartung costura política de centro

09 de Fevereiro de 2018 Autor:

Lorena M. Giordina, da ADI-ES Hartung costura política de centro

 

Governador foi a São Paulo e conversou com nomes importantes que poderão ser candidatos à presidência

Escolhido para costurar o centro de campo da política. Essa foi a resposta que o governador Paulo Hartung disse, em recente coletiva de imprensa, ao ser questionado sobre uma possível candidatura a presidência da república.

"Meu nome já está escolhido para uma coisa que já estou fazendo. Pegar uma agulha boa e uma linha e ajudar a costurar o campo do centro da política. Precisamos escolher alguém que possa comunicar com a sociedade brasileira", falou Hartung.

A proposta que Hartung está inserido diz respeito a uma reorganização do País, que segundo ele precisa evoluir em diversos aspectos, como a educação.  "Precisamos modernizar o País, não tem lugar ao sol para quem ficar preso às regras, regulamentos e leis do passado. Ou reformamos o País, ou vamos ouvir sempre que este é o país do futuro, futuro esse que não chega".

Diante de tanta especulação em torno do seu nome, e da formação de uma possível chapa para concorrer à presidência, não faltam nomes como o do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, e do apresentador global, Luciano Huck. O que o governador capixaba deixa claro é que ainda é cedo e que as decisões serão tomadas em julho e agosto. E até lá há uma eternidade para trabalhar, convencer e amarrar lideranças capazes de dialogar com a sociedade.

"Precisamos de alguém que consegue dialogar com a população, mobilizar, explicar para as pessoas, se isso já era importante no passado, imagino agora com a internet e as redes sociais", disse.

Para Hartung é preciso transformar potencialidades em oportunidades para o povo, e principalmente para a juventude. Além das boas ideias, é preciso levar essas ideias até a população. Enfático o peemedebista, disse: "Ganhar o coração da população, chegar ao Brasil de carne e osso". O que ele se refere é que os políticos acham que tem ideias salvadoras para o País, mas só conversam entre si, só aplaudem a si mesmos, e isso impede de chegar até a família simples, que precisa dessas propostas boas, que estão dentro de gavetas.

"Eu tenho dito, este País tem esse potencial todo que falam? Tem! Se olharmos o mundo inteiro, o Brasil é o país de mais potencial, mas vivemos esta encrenca toda, porque fizemos tudo errado", criticou Hartung.

Em recente almoço com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, e com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, Hartung disse que foi estreitar diálogos, para que até junho boas agendas sejam produzidas. E posteriormente um candidato ou até dois possa ser lançado pela política de centro, que se encontra o governador do Estado. 

Hartung ainda não define candidatura

O cenário político tem refletido sobre nomes como do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o ex-ministro do STF, Joaquim Barbosa, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia e o apresentador Luciano Huck são cotados para ter apoio de Paulo Hartung.

"Ainda não tem elementos para falar quem vai ser candidato. O Meirelles colocou o nome, eu estimulei, também estimulei o Maia, dialoguei com o Huck. O Joaquim Barbosa colocou a possibilidade e eu dialoguei. O importante é quem vai cair no gosto da população, quem vai dialogar com a sociedade, temos o desafio da comunicação", lembrou PH.

O governador explica que ainda não estão trabalhando nomes, não há escolhas e não há nomes vetados, tudo está sendo costurado por um movimento que tire o País do buraco. E que o candidato à presidência tem que ser escolhido junto com um time, uma equipe que seja capaz de auxiliar o futuro presidente.

Questionado sobre ser candidato à vice-presidente, Hartung deixou claro que ninguém concorre uma eleição para vice.

"Não existe candidato à vice! Vice é uma montagem feita na ultima hora, é um complemento. E essa montagem só deve ser feita em agosto. Eu não sou candidato a nada disso, eu estou eleito para participar do movimento que quer tirar o País do buraco".

 

O Espírito Santo e o governador Paulo Hartung ganharam projeção no território nacional, após fechar o ano em meio à crise com as contas em dia, folha de pagamento fechada, e investimentos de mais de R$ 1 bilhão neste ano.

 

 



    Comentários (0) Enviar Comentário