Jornal Correio do Estado - O Jornal que todo Mundo lê

Notícias - Entrevista

O desafio de levar adiante o negócio da família

24 de Junho de 2017 Autor:

O desafio de levar adiante o negócio da família

Em entrevista ao jornal Correio do Estado, a Dra Karoline Loureiro Amâncio fala sobre a missão de dar prosseguimento aos trabalhos do Laboratório Thonson – ao lado da mãe e do primo – após o falecimento do pai, um dos fundadores da empresa.    

Caroline Pereira 

Grande parte dos negócios no Brasil e no mundo começa em uma família, mas nem todos os herdeiros conseguem levar adiante o legado, a missão e, principalmente, os valores do fundador. Prova disso é que, segundo uma pesquisa da Strategos Consultoria, cerca de 70% das empresas familiares não sobrevivem ao chegar às mãos da segunda geração.

Entretanto, como o estudo já sugere, existem os demais 30% de sucessores que conseguem conduzir os negócios dos pais com muita maestria e talento, fazendo com que a empresa da família não apenas sobreviva, mas também se aprimore, cresça e vire um referencial em sua área de atuação. Essas são as metas já alcançadas e também os desafios da Dra Karoline Loureiro Amâncio, que atua, ao lado da mãe, Dra. Maria da Penha Loureiro Amâncio, e do primo, Dr. Márcio Amâncio Calil, na direção do Laboratório Thonson, fundado por seus pais (Dra Maria Penha e Dr. José Coelho Amâncio) em 1983, no município de Ibiraçu (ES).

Em entrevista concedida ao jornal Correio do Estado, a médica fala sobre sua vocação, a perda do pai, o desafio de dar continuidade ao negócio da família ao lado da mãe e do primo e também seus planos e projetos em Linhares, cidade onde o Laboratório Thonson inaugurou uma unidade há poucos meses.   

Jornal CE: Você é filha de dois farmacêuticos-bioquímicos, os fundadores do Laboratório Thonson. Sua vocação pelo trabalho com Análises Clínicas e pela Medicina é fruto do incentivo deles?

Dra Karoline: Com certeza. Eu e o laboratório nascemos praticamente juntos, ele em abril e eu em julho de 1983. Crescemos literalmente lado a lado. Acompanhar de perto toda essa trajetória de sucesso, repleta de determinação, coragem e muito suor, foi fundamental na escolha da minha profissão. A empresa sempre teve um princípio familiar. Meus pais buscavam criar a família Thonson e assim, naturalmente, nos aproximavam da empresa. O braço direito do meu pai era seu sobrinho, Márcio, que veio adolescente do interior de Minas Gerais morar conosco, buscando no Espírito Santo uma melhor oportunidade. 

Jornal CE: Que lembranças você tem desse tempo de infância e do surgimento do laboratório?

Dra Karoline: Morávamos no andar de cima do laboratório e eu passava o tempo livre assistindo meus pais trabalhando na área técnica, não importando dia nem hora, com os pés no chão, honestidade, dando um passo de cada vez em busca dos seus sonhos. Foi assim que minha paixão pela área de saúde foi despertada. Meu maior incentivo foi e ainda é o exemplo dado pelos meus pais. Eles sempre foram e são a fonte natural da minha inspiração. Mesmo hoje in memoriam, os ensinamentos do meu pai sempre me guiarão.  

Jornal CE: Em algum momento da sua carreira você pensou em trilhar um caminho na Medicina que não tivesse relação com o negócio da família?

Dra Karoline: Sinceramente, não. Esse pensamento me traz infelicidade. Sinto-me incompleta atuando apenas no consultório. Eu sempre gostei de várias áreas da Medicina e a busca de como utilizar os ensinamentos que a Medicina me trazia para assessorar clinicamente o laboratório era e ainda é muito espontânea em mim. Busco aproximar o contato laboratório-cliente e laboratório-médico, pois acredito que essa troca só traz ganhos e aprendizados para ambos os lados. Ao longo dos cinco anos que morei em São Paulo (SP), cursando as residências médicas que escolhi (Clínica Médica, Gastroenterologia e Hepatologia), sempre tive em mente terminar os estudos e retornar para casa, para a família e, lógico, para o laboratório. Recusei boas propostas de trabalho em grandes hospitais de São Paulo, pois sabia e sentia que precisava voltar e que a empresa precisava de mim. Estava escrito, era meu destino. 

Jornal CE: A perda de um dos fundadores do laboratório é vista como um momento crítico, porém muito importante para a história da empresa. Você pode compartilhar um pouco desse momento de superação, do seu ponto de vista e de sua equipe?

Dra Karoline: Essa descrição realmente diz tudo: momento crítico! A perda do meu pai, sócio-fundador da empresa, quando minha irmã e eu, com 19 e 18 anos respectivamente, cursávamos Medicina, foi realmente um marco. Como não se abalar perdendo uma pessoa tão importante da sua vida subitamente, que dormiu, mas não acordou? A tristeza tomou conta de todos nós. Minha mãe estava inconsolável e minha irmã precisava voltar para o Rio de Janeiro (RJ) a fim de continuar a faculdade. Foi assim, nesse momento, que descobri uma força que nem eu mesma imaginava que tinha. Junto com meu primo-irmão, Márcio, agora Biólogo e já com grande experiência em laboratório, utilizei os exemplos de força, garra e determinação presenciados até então para darmos seguimento ao que havia sido construído. Meu pai era nosso guia, nossa inspiração. Ali sentimos a verdadeira importância da família Thonson que meus pais haviam criado. O apoio e a união dos colaboradores também foram fundamentais. Um trabalho de tantos anos, uma história tão linda, repleta de superações, não poderia acabar assim. Hoje, temos não apenas funcionários, mas grandes amigos na empresa. Muitos nos acompanham há mais de 20 anos e foram peças-chave nesse processo. E assim, unidos e com muita fé em Deus, seguimos adiante, crescendo, dedicando a Deus e ao Dr. José, meu pai, cada vitória e sonho conquistados. E a Dra. Penha, minha mãe guerreira, com sua invejável força, é nossa mentora até os dias de hoje e segue firme na presidência da empresa. 

Jornal CE: Recentemente, o Laboratório Thonson instalou uma filial em Linhares. O que motivou a empresa a vir para cá?

Dra Karoline: Tudo começou quando mudei para a cidade em 2012, após me casar com um linharense, o médico radiologista José Fernando Pandolfi Júnior. A cidade sempre me agradou e combina com o meu estilo de vida, mais reservado e calmo. Desde então, morando e exercendo a Medicina aqui, observei que havia espaço para mais um laboratório de análises clínicas de qualidade, que poderíamos somar numa cidade que vem crescendo ano a ano, trazendo para cá um atendimento humanizado, que alinha qualidade, custo-benefício e menores prazos na entrega dos resultados e que tem um diferencial, a menina dos olhos da Dra. Penha: o ThonsonKids, que é o atendimento infantil individualizado. Também fui incentivada pelo Dr. Thúlio Gandra, nosso Biomédico e Microbiologista de destaque, atual responsável técnico da unidade Linhares e que trabalhava conosco em Aracruz há quase dez anos, mas reside em Linhares com sua família. Juntos, levamos nossas ideias para Dra Penha, que sendo a grande empreendedora que é, aceitou o desafio e nos ajudou a realizar mais um sonho. Linhares hoje é minha casa. Assim, quero o melhor para o lugar onde escolhi viver e criar meus futuros filhos. 

Jornal CE: Além de Linhares, vocês possuem filiais nos municípios de Aracruz, Ibiraçu, João Neiva, Fundão, Serra e Vitória. Como você consegue administrar seu tempo e acompanhar as equipes de cada filial?

Dra Karoline: Não é fácil, mas a palavra-chave é trabalho em equipe e, no nosso caso, em família também! Meu marido é um grande parceiro e acredito que por ser médico, compreende melhor essa rotina corrida, além de me ajudar bastante. Nosso cotidiano é bastante atribulado. A área de saúde exige muita seriedade e é de grande responsabilidade. No laboratório, lidamos com análises de amostras biológicas cujos resultados, na maioria das vezes, definem a conduta médica. Logo, a vigilância é constante. Já no consultório, tenho a responsabilidade de, se não curar, ao menos amenizar a dor ou o sofrimento do meu paciente. Diante desse cenário, dividimos as tarefas, contando com o apoio dos supervisores, nossos braços fortes, para nos ajudarem a conduzir da melhor forma possível a empresa como um todo, permitindo-me assim dividir meus horários. Atualmente, dedico alguns períodos da semana ao laboratório nas unidades de Linhares e Aracruz, e alguns períodos aos consultórios das duas cidades. 

Jornal CE: E por falar em Aracruz, foi lá que você passou sua infância. Atualmente, a doutora reside em Linhares.  O que cada cidade representa para você, do ponto de vista pessoal?

Dra Karoline: Tenho um carinho especial pelas duas cidades. Aracruz, doces lembranças, as mais belas, repletas de grandes valores que, muitas vezes, são esquecidos. Ali vivi os momentos mais marcantes da minha infância e pré-adolescência, formei minha personalidade e aprendi, através da simplicidade da minha criação e de todas as dificuldades e superações que presenciei, que a honestidade é o caminho do sucesso. Tive uma infância repleta de brincadeiras de rua, mas já naquele tempo, minha irmã e eu também aproveitávamos as férias para ajudar na recepção do laboratório, entregando os resultados dos exames dos pacientes. Já Linhares, que era a cidade do meu marido, me conquista a cada dia com seu grande potencial de melhoria e crescimento, em especial na área de saúde. Aqui, ainda estou construindo minha história, mais uma parte dela, uma nova fase. Espero que ela me traga memórias tão lindas quanto as de Aracruz. Estou fazendo novas amizades, já conheci pessoas ímpares, estreitei laços e pretendo continuar oferecendo o meu melhor para essa cidade que tão bem me acolheu. 

Jornal CE: Os profissionais da medicina são conhecidos por sua constante evolução e aprendizado. Quais são os seus planos para o futuro? O que mais você pretende realizar na sua carreira e, consequentemente, no seu negócio?

Dra Karoline: Esse é o nosso grande desafio na área de saúde: manter-nos atualizados! Explico aos meus pacientes que nossa dedicação é eterna, a busca pelo conhecimento é diária. Estudar, para nós, é algo que tem que fazer parte da rotina. Com relação ao futuro, não faço planos, confesso que hoje estou focada no presente, em viver um dia de cada vez, aprendendo com os erros e abraçando as oportunidades que surgirem. Meu maior objetivo é buscar manter meu atendimento assistencial e o nosso atendimento laboratorial, focado na humanização, na qualidade e na seriedade dos serviços prestados. Acredito que assim conquistaremos e fidelizaremos novos clientes, e solidificaremos as parcerias já firmadas. Porém, confesso que tenho um sonho, algo que me deixaria bastante realizada: ver a nossa sociedade usufruindo de um sistema de saúde mais digno, humano, com profissionais e prestadores de serviços satisfeitos, sentindo-se valorizados, trabalhando em condições ideais para prestarem um serviço resolutivo, seja no sistema público ou privado.



    Comentários (0) Enviar Comentário