Jornal Correio do Estado - O Jornal que todo Mundo lê

Notícias - Entrevista

“Desejo uma sociedade em que as pessoas tenham as mesmas oportunidades”

03 de Fevereiro de 2018 Autor: Caroline Pereira

Divulgação “Desejo uma sociedade em que as pessoas tenham as mesmas oportunidades” Felipe Rigoni pretende disputar uma vaga de deputado federal pelo Espírito Santo

O jovem linharense Felipe Rigoni, de 26 anos, foi um dos selecionados para fazer o treinamento proposto pela ONG Renova Brasil, um movimento que tem o objetivo de desenvolver novas lideranças políticas para o país. O ideal do treinamento e do próprio Felipe é bastante simples: formar pessoas – e políticos – para uma gestão pública mais eficiente, com o intuito de oferecer oportunidades para todos. “Cada pessoa precisa de oportunidades para seguir seus sonhos. Não adianta ter um sonho se o ambiente em que você vive não permite que ele aconteça”, diz Felipe.

A convite do jornal Correio do Estado, o jovem dá mais detalhes sobre o treinamento do qual participa, seus planos de ingressar na política e ainda resgata sua história de superação após a perda da visão, ocorrida quando ele tinha 15 anos.

Confira:

 

Jornal CE: Você foi um dos selecionados pela ONG Renova Brasil para participar de um treinamento de formação de novas lideranças políticas, que vem acontecendo nos últimos dias em São Paulo. Pode nos contar um pouco do que você já ouviu e aprendeu durante as atividades propostas?

Felipe Rigoni: O Renova Brasil tem justamente esse objetivo: formar novas lideranças políticas. O treinamento começou no dia 21 de janeiro e a primeira etapa, que tem duração de duas semanas, acaba nesta sexta-feira, dia 2. Esse é um programa muito incrível. Tenho aprendido coisas como, por exemplo, liderança adaptativa, liderança positiva, o funcionamento do legislativo brasileiro, direito constitucional, teoria do Estado, inovação em mandatos políticos, entre muitos outros temas. Na última quinta-feira (01), o coordenador de campanha do Emmanuel Macron, atual presidente da França, veio conversar com a gente. Tivemos aulas sobre transparência partidária e tudo isso com o intuito de nos formar melhor para que a nossa atuação política seja cada vez mais eficiente. Vale ainda mencionar que tivemos aulas de responsabilidade fiscal, eficiência do Estado etc, para fazer com que a nossa atuação seja mais eficiente e siga os valores do Renova, que são: combate à corrupção, valorização do individuo, em detrimento do Estado, melhoria da provisão dos serviços públicos, principalmente de educação, segurança e saúde, e gestão fiscal responsável, entre outros. Esse é um dos melhores programas dos quais já participei e com certeza vai me ajudar bastante no futuro.

 

Jornal CE: E por falar em política, quando e por que você resolveu se envolver com esse tema?

Felipe Rigoni: Trabalhei no Movimento Empresa Júnior e cheguei à liderança nacional do movimento. Fui presidente do Conselho da Confederação Brasileira de Empresas Juniores, em 2015. Já nessa época tínhamos uma forte articulação no Congresso Nacional, pois estava em pauta uma lei que regulamentava e organizava a criação das empresas juniores no Brasil. E eu liderava ao menos umas 10 mil pessoas de diferentes estados do Brasil, que participavam das mais de 300 empresas juniores que tínhamos. Ao mesmo tempo, comecei a trabalhar com coaching e desenvolvimento humano, algo que fiz por quase três anos. Foi então que percebi duas coisas: a primeira é que tenho uma habilidade muito grande de liderar pessoas para uma transformação boa. Percebi isso durante o Movimento Empresa Junior e gostaria muito de continuar fazendo. E a segunda é que, com o trabalho do coaching, notei que além de uma orientação individual, novas crenças fortalecedoras e uma definição de objetivos claros, cada pessoa precisa de oportunidades para seguir seus sonhos. Não adianta ter um sonho se o ambiente em que você vive não permite que ele aconteça. Se você não tem uma sociedade que dê oportunidades para todos, aqueles que conseguem seguir os seus sonhos serão sempre as exceções. E eu não acredito que a gente tenha que viver com exceções. Todos devem ter uma oportunidade igual e o único fator de diferença deve ser o esforço pessoal – mas hoje não é. Com o trabalho de coaching, acabei percebendo que as pessoas precisam de oportunidades, de suporte, de recursos. E o melhor lugar para desenvolver esse ambiente de oportunidades seria no setor público, na política. Por isso, decidi entrar nesse setor e fazer a diferença. 

 

Jornal CE: Você já foi candidato a vereador na cidade de Linhares, sua terra natal, e foi o 14º mais votado. Tem planos de disputar algum cargo neste ano?

Felipe Rigoni: Sim. De fato fui candidato a vereador em 2016 e fui o 14º mais votado. Agora que fui fazer mestrado em políticas públicas na Universidade de Oxford, na Inglaterra, me preparei mais e melhor. Neste ano, pretendo disputar a vaga de deputado federal pelo Espírito Santo.

 

Jornal CE: E se você for eleito, que contribuição pretende dar ao povo capixaba, como representante do mesmo?

Felipe Rigoni: Caso o meu projeto seja exitoso e eu seja eleito, o que pretendo fazer é justamente aquilo que me motivou a entrar na política. Desejo uma sociedade em que qualquer pessoa, independente de origem, raça, cor, credo, deficiência ou qualquer tipo de característica, tenha as mesmas oportunidades de decidir levar a vida que quiser ter. Acho que cada um deve ter a liberdade de escolha sobre a vida e tem que ter oportunidades para isso, respeitando a ética e as escolhas das demais pessoas. Em suma, todos devem ter oportunidades de levar a vida da forma como desejarem. Acho que temos três eixos de atuação muito importantes para os próximos anos, que são: eficiência do governo, educação básica de qualidade para todos e o estímulo ao empreendedorismo. Acredito que o principal inimigo do brasileiro é a ineficiência do governo. E se o governo, um dia, tiver eficiência para prover serviços públicos, a gente vai ter uma sociedade muito melhor, com igualdade de oportunidades, mais iniciativa privada proveitosa e ainda mais empreendedorismo das pessoas e justiça social. Pretendo atuar na minha vida política dentro desses três eixos.

 

Jornal CE: Além de já ter se envolvido em movimentos jovens, inclusive em posições de liderança, você vem se especializando no assunto “políticas públicas” no curso de mestrado. Como tem sido essa experiência?

Felipe Rigoni: A experiência em Oxford tem sido incrível. Estou numa turma de 113 pessoas, de 64 países diferentes. E isso já é uma das maiores riquezas do curso. São pessoas de todos os tipos, com diferentes visões sobre a política e experiências diversas. Por isso, o aprendizado pela comparação é muito grande. E mais: os professores da universidade são, basicamente, os melhores na área de atuação. Lá, uma coisa importante que temos aprendido, entre as diversas disciplinas, como filosofia, direito, sociologia, desenho e implementação de políticas públicas etc, é que não importa se o governo é de direita, esquerda, centro, liberal ou conservador. O que mais importa é quão eficiente o governo é na hora de fazer aquilo que deve fazer. Temos governos, como o da Suécia, que é extremamente eficiente e mais provedor. Outros, como o da Austrália e Cingapura, provêm menos coisas para o cidadão, mas o que pouco que oferecem o fazem muito bem. São sistemas em que o setor privado consegue oferecer os demais serviços. E isso é o que importa: implementar políticas públicas com base em evidências, avaliação e desenho de políticas competentes, sempre respeitando o contexto local e tendo a participação popular na avaliação dos resultados. Basicamente é isso que tenho aprendido no mestrado.

 

Jornal CE: Você acha que, assim como você, outros jovens estão se envolvendo mais com a política, que nem sempre foi um tema de interesse desse grupo?

Felipe Rigoni: Tenho participado de movimentos jovens desde que ingressei na faculdade. Depois dos seis anos de atuação no Movimento Empresa Júnior, participei da Aliança Jovem da Adel (Associação para o Desenvolvimento de Linhares) e ajudei a fundar e criar o Movimento Acredito em todo o Espírito Santo, que é um movimento nacional de renovação política e que combate a desigualdade de oportunidades. O movimento também pretende dar apoio a candidatos que vão se lançar neste ano. Hoje, vemos uma leva de jovens que estão se juntando a nível nacional para fazer diferença na política. Temos o Movimento Acredito, mas também o Agora, o Brasil 21, o Mudamos, o Transparência Partidária e muitos outros. Todos pretendem fazer uma diferença grande dentro da política para que o nosso Brasil seja mais desenvolvido, justo, ético e inclusivo. Em todo lugar que vou vejo pessoas incríveis que querem entrar para a política e fazer a diferença.

 

Jornal CE: Você perdeu sua visão aos 15 anos de idade. E em entrevistas e outras reportagens feitas pela imprensa, você sempre diz que a sua limitação não é um empecilho para seus planos, tantos pessoais quanto profissionais. Que conselhos você poderia dar para outras pessoas que também possuem limitações, mas que ainda não conseguiram desenvolver um projeto de vida por não se acharem capazes?

 

Felipe Rigoni: Uma coisa que aprendi com o meu pai, na época em que estava na maior crise da minha perda visual, é que sempre temos uma escolha. Meu pai falou isso e fui encontrar esse mesmo pensamento na filosofia. Todo ser humano tem liberdade para escolher a atitude que vai tomar diante das circunstâncias. Aprendi isso com os meus pais e isso meu deu liberdade para lidar com a vida e com os problemas de forma positiva. O fato de eu não enxergar nunca foi um empecilho. É claro que tenho dificuldades e obstáculos, mas isso nunca me faz parar de seguir a vida e buscar o que quero fazer. Óbvio que tem coisas que não dá para fazer, mas muitas são possíveis. Eu, por exemplo, não consigo ler um livro, mas tenho um programa de computador que lê para mim. Foi um problema que resolvi. Portanto, se fosse para dar um conselho, diria para a pessoa que ela deve encontrar, através do autoconhecimento e da reflexão, a liberdade que tem para tomar decisões diante das circunstâncias. E que a gente pode dizer sim para a vida, independente de tudo.



    Comentários (3) Enviar Comentário

  • Adelaide Avelino Benzaquen. 03/02/2018

    Sao jovens como você Felipe, que me fazem acreditar que há solução para nosso país. Precisamos de bons líderes, vá em frente!
  • Ezima Braguinia de Almeida Carnielli 03/02/2018

    Fantástica reportagem! Parabéns Rodrigo, você é exemplo de força, atitude, determinava e perseverança.
    Além de tudo uma grande esperança de mudança na política nacional. O Brasil precisa de jovens como você para mudar o rumo da política, ajudando a eliminar as velhas águias do poder e a corrupção enraizada por eles.
    Por um Brasil melhor!!!
    Sucesso!
  • Elizabeth Avelino Benzaquen 03/02/2018

    Conheço o Filipe algum tempo .
    Ele é mesmo incrível.Tenho certeza que ele vai conseguir mudar a imagem do político .
    E um dia teremos outra visão da política no Brasil. Tenho muito orgulho deste jovem é memo Brilhante.!!