Jornal Correio do Estado - O Jornal que todo Mundo lê

Notícias - Educação

Especialista dá dicas para escolher a carreira certa

30 de Junho de 2017 Autor: Caroline Pereira

Especialista dá dicas para escolher a carreira certa

Profissional também dá orientações para as pessoas que querem mudar de profissão e retornar à universidade

Uma das decisões mais importantes que as pessoas precisam tomar em suas vidas está relacionada à escolha da carreira e, consequentemente, do curso universitário que os levarão a alcançar sua vocação. E por ser uma opção que costuma ser feita ainda na adolescência, muitos rapazes e moças ficam em dúvida na hora de selecionar um curso no vestibular, mas, de acordo com o professor Victor Guedes, coach e especialista em carreira, é possível tomar uma decisão que fará a pessoa feliz, inclusive no trabalho.

Segundo o especialista, o primeiro passo rumo à escolha da carreira certa exige que o jovem faça uma autoanálise de suas habilidades e do que gosta de fazer. Posteriormente, ele deve listar as profissões e carreiras que aceitem pessoas com seu perfil. O exercício contrário também é válido. O jovem pode relacionar algumas carreiras que estão em alta numa determinada região (a cidade onde reside, por exemplo) e verificar qual delas possui mais relação com o seu perfil.

Para o professor, é preciso levar em conta a vocação e as tendências de mercado na escolha da profissão. Entretanto, muitas pessoas focam apenas no segundo fator e estão bastante sujeitas ao erro. “O mercado é flexível e móvel. A profissão que hoje está em alta pode, daqui a dois ou três anos, não estar mais. Por causa dos avanços tecnológicos, muitas profissões vão deixar de existir. Por isso, é importante que a pessoa olhe para o mercado, mas leve em conta sua vocação”, observa. 

Testes vocacionais

Na busca por uma resposta sobre a carreira que devem seguir, diversos jovens recorrem aos testes vocacionais. Contudo, o prof. Victor pede cautela em relação a essa atitude. “Tome muito cuidado com os testes vocacionais de internet, porque eles não têm base científica”, alerta. 

Para o especialista, o ideal é fazer pesquisas sobre o trabalho desempenhado em determinadas áreas de interesse da pessoa e conversar com profissionais que atuam nessas carreiras, para tirar dúvidas e conhecer a profissão mais de perto. Por fim, se ainda restar alguma dúvida, vale a pena buscar a ajuda de psicólogos e outros especialistas em educação. 

Faculdade após os 30 anos

A crise econômica estimulou centenas de adultos a mudar de carreira e até voltar para a sala de aula. Entretanto, mesmo após os 30 ou 40 anos de idade, ainda tem gente cercada de dúvidas sobre a escolha do curso universitário, afinal, se a decisão já era complexa na juventude, na vida adulta ela se torna ainda mais decisiva, especialmente para quem deseja dar um novo rumo à vida profissional.

Para esses indivíduos, Victor Guedes dá um incentivo: “Nós não precisamos ser infelizes na nossa carreira. Quem não se vê mais numa determinada profissão, uma alternativa é voltar para o banco da escola, seja com 30, 40 ou 50 anos. Nessa idade, a pessoa tem um foco e sabe o que quer, pois já possui experiências de vida. Isso pode ajudá-la a voltar para a faculdade mais direcionada, tendo até mais resultado”, completa. 

Jovem ou madura, a pessoa deve buscar a realização pessoal na careira. “Vivemos hoje numa sociedade que acha que o trabalho é um fardo, é um peso para a nossa consciência. E as crianças estão aprendendo que os pais ‘vão para a morte’ quando saem para trabalhar. Isso é muito ruim. Diversas pessoas estão infelizes no trabalho porque atuam em áreas que não são as que elas gostariam. Portanto, busque algo que vá te satisfazer, pessoalmente e financeiramente”, aconselha Victor Guedes.  

 



    Comentários (0) Enviar Comentário