Jornal Correio do Estado - O Jornal que todo Mundo lê

Notícias - Economia

Saques do FGTS ajudam a aumentar as vendas de material de construção, aponta pesquisa

20 de Junho de 2017 Autor:

Saques do FGTS ajudam a aumentar as vendas de material de construção, aponta pesquisa

Em Linhares, alguns lojistas confirmam o crescimento. Outros aguardam resultados positivos para o período pós-colheita do café

As vendas no varejo de material de construção no mês de maio tiveram desempenho 5% superior ao registrado em abril, conforme revelou uma pesquisa recente feita pela Anamaco (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção). Na comparação com maio de 2016, o volume de vendas no mês foi 9% superior.

De acordo com o levantamento, o setor apresentou 6% de crescimento de janeiro a maio deste ano. Já no acumulado dos últimos 12 meses, o dado é negativo: -6%. “Depois de dois dos piores anos da história do nosso setor, estamos apresentando um ritmo constante de recuperação que foi bastante influenciado pela liberação dos recursos das contas inativas do FGTS. Segundo o IBGE e a Pesquisa Mensal do Comércio, dos R$ 5,5 bilhões liberados em março, mais de R$ 594 milhões (cerca de 22,4% do total) foram gastos no nosso setor e isso teve uma influência muito positiva nas nossas vendas”, explica Cláudio Conz, presidente da Anamaco.

Em Linhares, algumas lojas conseguiram melhorar seus resultados nos últimos tempos, como, por exemplo, a Casa Nova Materiais de Construção, localizada no bairro Linhares V. De acordo com Florindo Goltara Neto, proprietário do estabelecimento, as vendas cresceram 30% no mês de abril. Embora não seja possível especificar, exatamente, os motivos que levaram os consumidores a comprar mais em seu estabelecimento, Florindo acredita que os saques das contas inativas do FGTS podem ter, de fato, influenciado esse resultado positivo. 

Já na São José Materiais de Construção, localizada no bairro Interlagos, o aumento das vendas é aguardado para o período pós-colheita do café. O gerente-geral do estabelecimento, Aislan De Angeli Gaigher, observou uma queda de quase 30% nas vendas em maio, na comparação com o mesmo período do ano passado. Entretanto, ele diz que a loja já apresentou resultados mais favoráveis nessa primeira quinzena de junho, números que devem melhorar ainda mais com o encerramento deste ciclo de colheita, segundo a previsão do gerente.

Expectativa

Para junho, 54% dos lojistas de todo o Brasil esperam que o volume de vendas continue crescendo. O mercado, porém, mostra-se sensível à instabilidade política. O pessimismo do setor com relação às ações do Governo nos próximos 12 meses cresceu de 29% para 46%, segundo a pesquisa.

O presidente da Anamanco ressalta que o setor vem reagindo modestamente desde o final do ano passado. “Quando você tem dois anos de retração econômica, qualquer recuperação precisa ser muito estudada e comemorada, e temos dado sinais que nos deixam muito otimistas. Temos feito um trabalho constante, e nossos números sempre melhoram quando há um aumento de oferta de crédito no mercado. Além da liberação dos recursos das contas inativas do FGTS, o Cartão Reforma é outra medida que deve impactar positivamente o nosso desempenho, afinal o programa deve atingir o teto de R$ 1 bilhão só em 2017", completa.

 

De acordo com a pesquisa da Anamaco, todas as regiões do País apresentaram resultados favoráveis, com destaque para o Norte e Centro-Oeste onde 46% e 43% dos lojistas, respectivamente, tiveram volume de vendas em média 16% superior a abril. No Sudeste, região que abrange o Espírito Santo, 86% dos comerciantes registraram alta de 10% a 20%. 



    Comentários (0) Enviar Comentário