Jornal Correio do Estado - O Jornal que todo Mundo lê

Notícias - Economia

Inverno mais frio aquece as vendas do varejo de moda em Linhares

04 de Julho de 2017 Autor:

Inverno mais frio aquece as vendas do varejo de moda em Linhares

Muitos lojistas já estão comemorando os resultados e até vendo a necessidade de repor os estoques

Com temperaturas mínimas chegando à casa dos 13ºC, segundo informações do Incaper, o inverno deste ano tem surpreendido muitos linharenses, levando-os às compras de artigos de moda que amenizam o frio, como jaquetas, casacos, botas e outros produtos de maior valor agregado.

Graças a esse movimento, muitos varejistas do município estão comemorando os resultados e até vendo a necessidade de repor os estoques, já que as vendas estão mais aquecidas que as do ano passado – quando o clima não foi condizente com a estação, com dias mais quentes. É o caso de Tayara de Azevedo, proprietária da loja Fina Flor. Na comparação com 2016, ela já registrou um aumento de 30% nas vendas.

Quem também se surpreendeu com uma maior presença de compradores na loja foi Eliana Almenara Pelisson, da Hering. Ela conta que não esperava uma queda de temperatura que favorecesse tanto as vendas, como tem acontecido neste ano. Por lá, algumas peças já estão em falta nos estoques.

O Presidente do Sindicato dos Lojistas de Linhares (Sindilojistas), Ilson Alves Pessoa, acredita que, além das temperaturas mais amenas, os resultados da colheita do café estão ajudando a movimentar o comércio linharense. Mesmo cautelosos por conta da crise, os varejistas estão mais animados e os resultados, no geral, devem ser bastante positivos, segundo análise do Sindilojistas.

Dados da consultoria IEMI Inteligência de Mercado mostram que o varejo brasileiro de vestuário e calçados movimenta em média R$ 180 bilhões anualmente. A participação dos artigos de inverno neste montante é de R$ 45 bilhões e o trimestre junho, julho e agosto representa 25% dessa receita. Ainda de acordo com o IEMI, em 2017 o varejo de vestuário de inverno deve comercializar 256 milhões peças, número 3,4% superior em relação ao ano de 2016.

 

 



    Comentários (0) Enviar Comentário