Jornal Correio do Estado - O Jornal que todo Mundo lê

Notícias - Cidades

Cresce o número de acidentes com escorpiões em Rio Bananal

15 de Agosto de 2017 Autor: Caroline Pereira

Cresce o número de acidentes com escorpiões em Rio Bananal

A Prefeitura de Rio Bananal emitiu um alerta em seu site sobre o aumento do número de acidentes com escorpiões no município. Segundo dados da Vigilância Epidemiológica, até o último mês de julho foram registrados cem casos de picada do animal, sendo que, ao longo de todo o ano de 2016, os registros não passaram de 90.

A coordenadora da vigilância epidemiológica de Rio Bananal, Beatriz da Rocha Silva, diz que a quantidade de acidentes desse tipo deve aumentar com a proximidade do verão, quando os escorpiões costumam ficar mais ativos, principalmente com o aumento das chuvas. Os índices pluviométricos elevados, além do uso de inseticidas nas lavouras, são fatores que, de acordo com a vigilância, podem explicar o deslocamento dos escorpiões para as residências de Rio Bananal, já que, nesses locais, eles encontram alimento, como baratas e cupins, e refúgio em áreas escuras, como as dos entulhos, sapatos, aglomerados de pedras, etc.

A vigilância informa que a maioria dos acidentes com escorpiões foi registrada na zona rural de Rio Bananal, mas o alerta também é válido para os moradores da área urbana. A coordenadora lembra que o escorpião amarelo, que é mais o visto nas ocorrências, é tão venenoso quanto os das demais espécies. Sua picada pode gerar alguns sintomas, como dor intensa no local da ferida, vômito, alteração da pressão arterial, falta de ar, agitação ou sonolência. Casos mais graves podem gerar complicações e levar a vítima ao óbito. 

Prevenção

Além de manter as casas limpas, sem entulho ou lixo acumulado, os moradores de Rio Bananal são orientados a usar calçados e luvas nas atividades rurais e de jardinagem, além de olhar com atenção os calçados e roupas antes de usá-los. Também devem proteger buracos e frestas de paredes, assoalhos, forros e rodapés para evitar a entrada do animal dentro do imóvel. Outro conselho da vigilância é a preservação de animais que se alimentam de escorpiões, como corujas, galinhas, macacos, entre outros, e o combate aos insetos que servem de alimento, como os já mencionados cupins e baratas. 

O que fazer em caso de acidente

O indivíduo que for picado deve seguir o conselho da vigilância epidemiológica de procurar o serviço de saúde mais próximo de sua casa. Se a vítima for uma criança ou um idoso, é importante procurar ajuda o mais rápido possível, já que os riscos são maiores para pessoas desses grupos.

Segundo a vigilância, as únicas medidas que a vítima pode tomar em casa até que ela chegue ao hospital são: lavar a ferida com água e sabão, sem espremer ou apertar a área atingida; fazer compressa de água morna no local afetado e ingerir um analgésico para alívio da dor. Amarros, torniquetes, curativos e aplicação de substâncias na ferida, como pomada, pó de café, etc, estão proibidos, pois podem aumentar o risco de infecção. 

O município de Rio Bananal oferece tratamento adequado com medicamento específico para os acidentados. “Hoje, existe no estoque do hospital do município a quantidade de soro antiescorpiônico necessário para atender casos graves de envenenamento por escorpião. Lembrando que, até agora, a maioria dos casos dos acidentes foi de grau leve, não necessitando do uso do soro antiescorpiônico”, relata a coordenadora da vigilância. 

Captura do animal

Por mais que seja aplicado nas lavouras e cause a movimentação dos escorpiões, o inseticida não provoca a morte do animal. “Ele tem a capacidade de permanecer com os pulmões fechados por muito tempo e pode se manter por meses sem movimento ou alimento”, explica Beatriz.

 

Sendo assim, caso o morador encontre um escorpião em sua residência, ele deve entrar em contato com a vigilância epidemiológica, que irá providenciar a captura correta e segura do animal. Os telefones são (27) 3265-2031 ou (27) 3265-2045. 



    Comentários (0) Enviar Comentário