Jornal Correio do Estado - O Jornal que todo Mundo lê

Notícias - Cidades

Após polêmica, Prefeitura de Aracruz nomeia nova secretária de Saúde

06 de Outubro de 2017 Autor: Redação CE

Após polêmica, Prefeitura de Aracruz nomeia nova secretária de Saúde

O prefeito de Aracruz nomeou a servidora Juliana Soneghet Baiocco Louzada para exercer o cargo comissionado de Secretária Interina de Saúde, a partir de 07 de outubro. O anúncio foi feito logo após, o então secretário, Ivan Pestana, dizer que “Só morre quando chega a hora”, durante sessão na Câmara Municipal, onde falava sobre a área da Saúde no município. 

O prefeito Jones Cavaglieri fez questão de ressaltar à nova secretária, que a prioridade da gestão é a excelência dos serviços prestados na área da saúde pública. "Nossa dedicação em prol da saúde dos munícipes continua. Vamos trabalhar sempre pela excelência da gestão nos serviços públicos de saúde e assim, garantir o atendimento adequado a toda população", enfatizou.

Com experiência de muitos anos na área da saúde, Juliana é enfermeira formada pela USP e pós-graduada em Auditoria de Saúde, Atenção Primária a Saúde e Gestão em Saúde. Além disso, a nova secretária é enfermeira efetiva na prefeitura de Aracruz, já atuou como secretária de Saúde das prefeituras de João Neiva e Aracruz. Ela também já foi enfermeira de PSF, Gerente de Auditoria em Saúde e subsecretária de Saúde da prefeitura de Aracruz.

 

Polêmica

Questionado sobre questões relacionadas à área da Saúde em Aracruz, o então secretário municipal da pasta, Ivan Pestana, afirmou que “só morre quando chega a hora”. A fala foi proferida durante uma sessão da Câmara dos Vereadores, na última quinta-feira (5).

A sessão foi realizada para que Pestana prestasse esclarecimentos sobre as condições de atendimento nas unidades de saúde e outras demandas do município.

O secretário municipal de Saúde respondeu com sarcasmo ao questionamento sobre a estrutura física da Unidade de Saúde de Coqueiral feito pelo vereador Celson da Farmácia (PRB): “Vereador, com todo o respeito, só morre quando chega a hora”.

O vereador retrucou: “Não, senhor. Eu não concordo com isso. Eu acho que o senhor está equivocado com relação a isso. Se a pessoa não tiver um socorro imediato, morre mesmo. O senhor tem que tomar mais conhecimento do que fala”. 



    Comentários (0) Enviar Comentário