Jornal Correio do Estado - O Jornal que todo Mundo lê

Notícias - Cidades

Rio Doce: MPF/ES realiza reunião com comunidade de Regência

09 de Junho de 2017 Autor:

Rio Doce: MPF/ES realiza reunião com comunidade de Regência

O Ministério Público Federal no Espírito Santo (MPF/ES) reuniu as comunidades de Regência, Entre Rios e Areal, em Linhares, litoral Norte do Estado, para abordar a contratação de assessoria técnica aos atingidos pelo desastre do rompimento da Barragem de Fundão, em Mariana (MG), que trouxe sérias consequências para o distrito. O objetivo é o de auxiliar a população atingida, para que tenha participação efetiva e informada nos planos, projetos e decisões acerca da reparação de seus direitos.

 

A contratação de estudos e de uma assessoria técnica independente para cada comunidade atingida está prevista no acordo preliminar firmado em 18 de janeiro de 2017 entre o MPF e as empresas Samarco, Vale e BHP Billiton Brasil, cujo valor chega a R$ 155 bilhões. Uma das condições estabelecidas para contratação do serviço, inclusive, é a de que os profissionais contratados devem ser escolhidos pela própria comunidade.

 

O procurador da República em Linhares, Paulo Henrique Trazzi, que compõe a força-tarefa que investiga o desastre socioambiental causado pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG), destaca que a reunião realizada com a comunidade foi de fundamental importância para esclarecimento de dúvidas acerca desse processo. “É importante explicar para a comunidade que ela tem o poder de optar pelos profissionais que vão ser contratados para compor essa assessoria técnica e que, inclusive, ela poderá escolher quais métodos de pesquisa e de trabalho serão utilizados”, frisa Trazzi.

 

Além do MPF/ES e da comunidade de Regência, o Movimento dos Atingidos pela Barragem (MAB) também participou da reunião.

 

Indígenas. Já na terça-feira, 6 de junho, Paulo Henrique Trazzi e o procurador da República em Minas Gerais, Edmundo Antonio Dias Netto Junior, que também compõe a força-tarefa, realizaram, na sede do MPF em Linhares, uma reunião com comunidade indígena, para orientá-los sobre o mesmo assunto. 



    Comentários (0) Enviar Comentário