Jornal Correio do Estado - O Jornal que todo Mundo lê

Notícias - Agricultura

Seminário em Povoação discute os impactos da tragédia ambiental da Samarco

23 de Junho de 2017 Autor:

Seminário em Povoação discute os impactos da tragédia ambiental da Samarco

Evento contou com a presença do deputado federal Givaldo Vieira, que participa de uma comissão que acompanha e monitora os desdobramentos do desastre 

Para reunir novas informações sobre a situação das comunidades atingidas pela tragédia ambiental da Samarco, o Conselho Pastoral dos Pescadores, que é ligado à Comissão Episcopal para o Serviço da Caridade Solidária, Justiça e Paz, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, realizou ontem (22) na comunidade de Povoação, em Linhares (ES), o “Seminário sobre Impactos do crime da Samarco às Comunidades Pesqueiras”.

O evento reuniu pescadores de várias regiões da bacia do Rio Doce, que foram prejudicados pela lama de rejeitos da mineradora. Representantes de movimentos e organizações sociais que estão atuando em prol da região também se fizeram presentes, entre eles, o deputado federal Givaldo Vieira (PT-ES), que participa de uma comissão externa da Câmara dos Deputados, cuja função é acompanhar e monitorar os desdobramentos do desastre.  

De acordo com o deputado, esse seminário marca o encerramento de uma série de visitas feitas por agentes do Conselho Pastoral dos Pescadores, que passaram por diversos municípios da bacia do Rio Doce conferindo, de perto, a realidade das comunidades pesqueiras e ouvindo as demandas das pessoas. Doenças de pele, impossibilidade de pescar, depressão, não recebimento de indenizações, entre outros tantos problemas, foram relatados pelos pescadores às equipes que estiveram em campo entre os dias 17 e 20 de junho.

Além de repassar um diagnóstico das visitas, o Conselho Pastoral também aproveitou o seminário para ouvir novamente os pescadores, seus desafios e necessidades. “Vou considerar esses relatos e continuar fazendo o nosso papel como parlamentar, que é cobrar a reparação econômica dessas pessoas e a recuperação ambiental do rio”, afirmou Givaldo Vieira. “Há uma grande preocupação da nossa parte, porque a empresa (Samarco) não vem cumprindo todas as obrigações sociais e econômicas de apoio às populações atingidas e ainda não fez nada em relação à reparação ambiental do rio. Temos um desastre grande, cujos impactos são prolongados, e as recuperações e reparações não estão acontecendo. O que a gente tem notícia é que a empresa está pagando alguns auxílios para parte dos atingidos, mas isso é muito pouco”, declarou o deputado federal. 

Pescadores pretendem realizar novas manifestações

Ainda ontem, no período da tarde, Givaldo Vieira participou de uma assembleia dos moradores de Povoação e comunidades vizinhas que, por iniciativa própria, resolveram se reunir e discutir a possibilidade de realizar uma manifestação na próxima segunda-feira (26), em Linhares. O objetivo dessa possível manifestação é chamar a atenção da sociedade para os problemas que as comunidades pesqueiras continuam enfrentando. A presença do deputado foi solicitada pelos próprios moradores de Povoação, que viviam basicamente da pesca e estão lutando para sobreviver. “Eu acompanhei essa assembléia para, novamente, ouvir a comunidade e ajudar nessa mobilização”, finalizou o deputado. 

FOTO: REPRODUÇÃO 



    Comentários (0) Enviar Comentário